Cadernos virtuais de Construção Sustentável

Cadernos virtuais de Construção Sustentável

Cadernos virtuais de Construção Sustentável – Caderno de Capacitação, Educação Ambiental e Inclusão Social, elaborado em uma Parceria entre a Secretaria de Estado do Ambiente e o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilida.

O Estado do Rio de Janeiro (ERJ) tem chamado atenção mundial não somente em função dos grandes eventos que irá sediar, mas também pelo extraordinário período de prosperidade econômica, social e cultural que está resgatando seu papel histórico de liderança nas questões vitais do desenvolvimento e da cultura nacional.

Desta vez, essa dinâmica está apoiada nos conceitos de sustentabilidade e de economia verde para garantir estabilidade econômica, social, ambiental e cultural em longo prazo.

O ERJ considera que:

  • A economia verde possibilita a transição para a prosperidade, a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável. Com este fim, um conjunto de metas, princípios e métricas deve ser adotado, com o claro entendimento de que não há um único modelo de desenvolvimento;
  • O conceito de economia verde não substitui a definição de desenvolvimento sustentável, sendo sim uma ferramenta para alcançá-lo. Um processo de desenvolvimento sustentável pressupõe o uso eficiente e a preservação dos recursos naturais, a redução das desigualdades e a inclusão social, bem como o desenvolvimento de estratégias de baixo carbono;

Uma economia mais inclusiva, verde e inteligente não é um modelo de desenvolvimento estático, e sim um processo de melhoria contínua, adaptado às necessidades econômicas, sociais e ambientais e aos ativos de uma comunidade. Este processo, orientado para liberar totalmente o potencial de sustentabilidade de determinado território, será continuamente medido por indicadores que vão além das tradicionais medidas, como o PIB, por considerar dados sobre ativos intangíveis, bem-estar e desenvolvimento humano.

Dentre as ações previstas estão:

  • Trabalho conjunto com outras secretarias, como a Sedeis, Sefaz e Seapec;
  • Desenvolvimento de parcerias com instituições públicas e privadas como CEBDS e BNDES;
  • Desenvolvimento de Polos Verdes, que consistem numa concentração de empresas com atividades afins, cujo foco não é apenas a competição entre si, mas sim a cooperação. São territórios onde o governo fornece incentivos aos empreendedores para impulsionar atividades econômicas ambientalmente mais limpas e socialmente mais inclusivas;
  • Criação de ferramentas de finanças verdes e mecanismos de mercado;
  • Promoção de uma economia de baixo carbono no ERJ, para reduzir emissões tanto no setor público quanto no privado;
  • Elaboração de novos indicadores de desenvolvimento, visando à criação de um painel de controle para o desenvolvimento sustentável;
  • Fomento a compras públicas sustentáveis

Fonte: http://www.rj.gov.br/web/sea/exibeConteudo?article-id=373573

Nenhum comentário