ARTIGO: CICLO DA VIDA E AUTOCOACHING

ARTIGO: CICLO DA VIDA E AUTOCOACHING

Sempre gostei de observar a natureza.

Foto: Gisela Santana, 2013

Desde pequena, nos quintais e jardins de minhas avós, brinquei com as plantas e vivenciei de perto a experiência de interagir com o meio natural. Apesar de sempre ter morado em apartamentos, desde que nasci a beleza, a diversidade e o comportamento dos espécimes sempre me despertaram curiosidade. Houve um tempo que pensei que seria engenheira florestal e até bióloga, mas a genética deve ter falado mais alto… E, me tornei arquiteta urbanista, defensora da natureza, instigada pelo desenvolvimento humano e pela visão sistêmica.

Foto: Gisela Santana. Pipa, Rio Grande do Norte, 2012.

 

Observar o ciclo da vida, o processo evolutivo e construtivo da natureza e de seus seres é uma paixão crescente. A natureza, seus sistemas, espécies, beleza, diversidade e mutações são indescritíveis e fascinantes. Tenho como hobby e autopoiese essa interação com o meio natural.

Observar os pássaros e o sentimento de liberdade, de alegria e de eterno cantantes nos sugestiona e nos ensina como, nós humanos, somos limitados física e emocionalmente e ainda temos tanto a aprender…

Foto: Gisela Santana. 2013

 

Observar as flores em seu desabrochar e em seus matizes multicoloridos, nos embelezam o olhar e a vida, e nos mostram a perenidade finita e transitória da beleza física.

Observar os movimentos das formigas e dos insetos nos demonstra que tamanho não tem importância. A agilidade com que se movem e a força com que carregam volumes inúmeras vezes superiores a si próprios nos mostra que basta querer para poder superar obstáculos que nos parecem intransponíveis!

 

Foto: Gisela Santana, 2013

Ao observar uma aranha em sua teia, me espantei com a sua velocidade em agir e envolver os insetos que se emaranhavam em suas finas e delicadas linhas, geometricamente desenhadas…
Hoje, por alguma razão ela não está lá! Teria saído para passear? Ou foi ela também absorvida pelo ciclo da vida?
Assim como os seres vegetais, animais e minerais, nós humanos, também fazemos parte deste ciclo da vida e em constante transformação, mutação e evolução autopoiética. Fazemos parte desse sistema de relações e dele dependemos.
Que tal nos (re)integrarmos e (re)alinharmos melhor ao ciclo da vida? Que tal fazer um autocoaching e construir essa autotransformação?

Nenhum comentário